O que é a felicidade?

Durante toda a vida, tentamos alcançar aquilo que pensamos ser a felicidade. Entretanto, nunca temos a certeza se, de fato, atingimos este estado.

Psicóloga Silvia Sztamfater

Ser feliz ou estar feliz? Difícil responder.

Mas se partirmos do pressuposto que o homem está sempre em movimento, ou seja, que a sua vida é uma sucessão de fatos encadeados, podemos supor que o que é vivenciado por ele o transforma e gera mudanças no outro também. Assim, ser feliz carrega uma conotação daquilo que queremos alcançar, do ideal, mas não leva em conta as mudanças momentâneas que o homem enfrenta e que o transforma. Já estar feliz traduz esta realidade de estar exposto ao que acontece no aqui e agora, ao movimento, à mudança e que, muitas vezes, é negligenciado em prol do que imaginamos ser de fato, o ideal.

Fazendo uso de outras palavras, estar feliz é que torna o indivíduo sensível ao que acontece ao seu redor, às conseqüências de suas ações; é o estado no qual ele pode observar e estar aberto ao momento, consciente da realidade e, portanto, melhor preparado para mudanças. Diferentemente do ser feliz, que torna a pessoa "cega" ao presente e totalmente voltada ao futuro, cujo objetivo é justamente atingir aquele estado idealizado e que, por isso, transforma-a em alguém nunca satisfeito com aquilo que vivencia no momento.

De fato, a felicidade está em sabermos apreciar o que existe ao nosso redor: o bom dia ao amigo, o dia ensolarado na praia, a caminhada matinal, o cansaço após o dia de trabalho, a leitura do jornal, o silêncio, a solidão, a risada... Pois é, o estar feliz se traduz de muitas maneiras, mas para sentir é preciso estar sensível ao momento.

E quem disse que para estar feliz não é possível também sentir tristeza? Felicidade não é a ausência de tristeza. Muito pelo contrário, estar feliz implica em se manter focado no momento, fato que gera percepções de acontecimentos inesperados e de alguma forma impactantes. Assim, estar feliz é ser consciente de que acontecimentos vistos como desagradáveis existem e têm influência sobre a vida do ser humano; mas que não é só isso, ao mesmo tempo, há o bom dia dito ao amigo, o dia ensolarado na praia, a caminhada matinal...

O que fica, então, é que o que somos hoje, agora, é resultado de múltiplos acontecimentos que estão ao nosso redor. Cabe a nós decidir como encará-los e permitir que influenciem a nossa vida para aquilo que julgamos ser a nossa felicidade.

 

Perguntas e Respostas sobre tratamento com Psicoterapia, Psicanálise, TCC, Terapia Junguiana, Terapia Comportamental, Terapia Cognitiva