Perguntas sobre comorbidade entre Tricotilomania e outras doenças.

Tratar Tricotilomania em São Paulo

Várias perguntas sobre Tricotilomania e comorbidade com outras doenças.

Pergunta 1:

Tenho pensado muito na minha mania de arrancar cabelos (principalmente região da nuca) e desfiar as suas pontas. A sensação realmente é de um intenso prazer seguido de culpa.

Essa culpa acaba assim que jogo o cabelo fora, de preferência no vaso sanitário.

Pelo que eu me lembre, tudo começou por volta dos meus 19 anos. Hoje tenho 27.

Entretanto, quando eu tinha uns 5 anos de idade, fiz um exame de fezes e foi detectado um bolo de cabelo no meu intestino.

Não sei se fiz algum tratamento. Acho que só cortaram meu cabelo e eu parei com esse hábito. Hoje não como o cabelo. Graças a Deus.

Não sei o que está acontecendo, pois os meus cabelos são muito bonitos, também sei que sou bonita, sou casada há 5 meses e este hábito horroroso vem crescendo a cada dia.

Também estou desenvolvendo uma compulsão por comida. Parece que eu tenho que boicotar a minha vida.

Sou bonita, amada, tenho uma empresa de sucesso e sinto estou detonando com tudo isso. Será que a compulsão por comida e a Tricotilomania têm alguma relação?

Resposta:

A Tricotilomania pode ter comorbidade (existência de mais de uma doença). O Transtorno Alimentar chamado de Comer Compulsivo pode ser uma comorbidade.

 

Pergunta 2:

Quando uma pessoa apresenta Tricotilomania e Fobia Social, especificamente. Essas duas doenças podem ter algum tipo de relação?

Resposta:

Sim, uma pessoa pode ter Tricotilomania e Fobia Social. Os dois são transtornos ligados à Ansiedade.

 

Pergunta 3:

Estou tratando do meu Transtorno Bipolar de Humor mas, sofro também de Tricotilomania (arrancar cabelos e comer, isto desde pequena), Síndrome das Pernas Inquietas (mexer as pernas sem perceber de um lado para o outro sem parar), Síndrome do Pânico (medo de ficar sozinha, de ter alguém dentro de casa) e o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) (manias repetitivas desde de pequena como: fechar a porta e verificar mais de uma vez, rituais que nem tenho coragem de escrever).

Como que uma pessoa aos seus 29 anos pôde ter adquirido tantos problemas?

Minha médica acha que isto é, muita coisa, eu também, mas infelizmente meu depoimento é verdadeiro.

E, gostaria de saber como posso estar sofrendo com estes quatro problemas e se isto se deu origem ao Transtorno Bipolar de Humor, ou veio daí?

Resposta:

Boa pergunta. É muito difícil uma pessoa só sofrer de tantos problemas. Seria conveniente você ter uma segunda opinião, reavaliar tantos diagnósticos e procurar um tratamento único que englobe o maior número possível de tantos problemas.

 

Pergunta 4:

Tenho 28 anos e já tive Depressão diversas vezes. Também já passei por vários profissionais do ramo, com os quais obtive uma certa melhora, porém não satisfatória, uma vez que continuo com alguns distúrbios como insônia, ansiedade, arrancar cabelos, dores de cabeça, desânimo, compulsão por comer, entre outros.

Já fiz tratamentos com medicamentos diversos.

Ficaria feliz em resolver todos estes problemas de uma vez por todas. Não mediria sacrifícios para isso.

Gostaria que me fosse indicado um(a) profissional na minha cidade que pudesse analisar meu caso sem pensar o tempo todo nos seus honorários, como vinha acontecendo com meus últimos Psiquiatras.

Posso pagar o meu tratamento um preço razoável, não o absurdo que alguns cobram. Já não sei mais a quem recorrer, mas tenho esperança de um dia poder acordar com a gostosa sensação de uma noite bem dormida, podendo dizer que não arranco mais meus cabelos e que sou uma pessoa normal. Por favor, me ajudem de alguma maneira.

Resposta:

Acho que você tem razão em todos os pontos de seu e-mail. Bom, havendo esses distúrbios obsessivos (comer e Tricotilomania), realmente o tratamento é mais complicado e as doses de medicamentos necessárias são muito (muito!) Mais altas.

Mas por outro lado, as consultas são muito mais espaçadas, pois não se espera progressos em intervalos menores do que 2-3 meses, o que torna o tratamento mais barato, concorda?

Procure alguma Clínica Universitária em Belo Horizonte.

O fato de você sofrer de Depressão e de Tricotilomania indica que teu tratamento irá mais para o lado dos Antidepressivos do que dos Neurolépticos, independentemente da Terapia, lógico.

Pergunta 5:

Gostaria de saber como fazer para parar de tomar o Fenproporex. Tomo há um ano e meio, e sinto que estou com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e Tricotilomania incontroláveis, e só agora me dei conta.

Mas tenho medo de parar de tomar, pois fico depressiva, sonolenta o dia todo, chorando, e ideias suicidas, e não tenho acompanhamento médico, pois o qual me dava a receita disse que agora só o endócrino pode passar, na receita B2, mas tenho vergonha de mostrar a ele minha cabeça os sintomas que tenho.

Resposta:

Não tem motivo para ter vergonha. A função do médico é ajudar e não julgar. E anfetaminas podem sim piorar a Tricotilomania.