A psicóloga disse que essa dosagem é para não entrar em crise.

Tratar Pânico em São Paulo

Pergunta:

Caso seja possível, gostaria de uma resposta para: porque alguém que já foi no Empire State Building, que já viajou de avião, tem medo de uma simples sacada de um quarto andar?

Porque alguém que nunca pensou em pular de um prédio fica com tontura, com uma sensação de que alguém o empurra?

Isso é sintoma de algo específico? Porque alguém que dirige um carro com 700 kg, que consegue digitar teclas minúsculas, enfim, que faz tudo...

Porque essa sensação ruim diante de uma janela, de uma simples sacada de apartamento?

Resposta:

Isso pode ser sinal de leves Ataques de Pânico ou de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Ambos os casos tem tratamento, provavelmente bem simples.

 

Pergunta:

Passei momentos tenebrosos por causa de Síndrome de Pânico, sentia tudo que li nos relatos desse site e muito mais. Durante seis anos me senti incapaz para tudo, não saía de casa por que só de pensar em sair meu coração já disparava, tinha dores de barriga, frio no estômago, pressão muito alta.

Minha cunhada me deu um calmante e me levou ao médico. Minha maior preocupação era que eu achava que estava ficando louca por que não sabia como dizer o que eu sentia, era muita coisa ao mesmo tempo.

Os medicamentos receitados foram Fluoxetina 20 mg e Frontal 0, 25 mg. Depois de vinte dias já comecei a sair de casa muito insegura, mas aos pouco fui conseguindo, muitas vezes com o Frontal na mão.

Qualquer coisa eu tomava um Frontal, mas minha vida foi voltando ao normal e há 5 anos sou responsável por uma loja.

Porém, se paro de tomar os remédios por minha conta, depois de alguns dias começo a sentir tremedeiras e mais um monte de outras coisas e tenho que voltar a tomar tudo outra vez, inclusive o remédio de pressão.

Queria saber se isso não tem cura tenho uma vida completamente normal, mas não posso parar com os remédios isso é assim mesmo?

Resposta

Não, não é assim. Minha impressão: você não ficou 100% livre dos sintomas e enquanto não ficar 100% livre, vai ser difícil parar os remédios.

Existem pessoas que nunca podem parar os medicamentos, mas é muito raro.

Talvez você precise de mais do que só remédios, leia as orientações da página de Ansiedade e de Pânico.

 

Pergunta:

Sofro de Síndrome do Pânico. Tudo começou quando estava dirigindo numa estrada e de repente comecei sentir um calor muito forte, e ao mesmo tempo cãibras no braço esquerdo. Pensei que iria ter um derrame, pois senti uma pressão forte subindo a cabeça com sensação de quase desmaio.

A partir deste momento, meu sistema nervoso transformou minha vida. Hoje tomo Alprazolam 0,5 mg, o que me alivia nos momentos de stress, principalmente à noite, para poder dormir melhor.

Atualmente tenho notado que aumentou a quantidade de vezes que vou ao banheiro urinar (3 em 3 horas), bem como passei a ter um desconforto na linha do ventre (gases). O que devo fazer, pois já fiz vários exames e eles estão normais? Desde já, grato pela atenção.

Resposta:

Você deve se tratar de modo mais completo e não apenas tomar o Alprazolam (Frontal, Apraz) só depois que o ataque já veio. Desse jeito eles não acabam nunca.

 

Pergunta:

Em primeiro lugar, parabéns pelo site, ele é de grande valor. Gostaria de saber se tomando ansiolítico (Ansitec 2 caixinhas) eu consigo me livrar do Pânico. Já fiz tratamento com Cebrilin 2 anos e meio fiquei ótima, mais depois que parei (gradualmente, é claro), nunca mais voltei a ser a mesma.

Tenho crises direto, vivo numa ansiedade constante e meu médico receitou o Ansitec.

Gostaria de saber se vai adiantar, estou tomando há 4 semanas e até agora nada.

Me ajude, por favor...

Resposta:

Vou torcer para você ficar boa, mas Ansitec (Buspirona, Buspar) não costuma ser muito eficaz em Síndrome do Pânico.

 

Pergunta:

Meu nome é Priscila e tenho 19 anos. Tive a primeira crise de Pânico com 17 anos quando estava em um ônibus, comecei a ficar nervosa, tive a certeza de que iria acontecer algo e eu iria morrer.

Comecei a tomar remédios indicado por um Psiquiatra, mas logo parei, pois não tinha me dado mais crises.

Meu pai tem Síndrome do Pânico e também teve o primeiro ataque aos 17 anos.

Tem vezes que tenho medo de sair de casa, não sei por que, parece que vai acontecer algo de ruim ou eu vou morrer de alguma forma, outros dias eu me sinto estranha, sinto tudo estranho. Sempre quando sinto dor em alguma parte do corpo acho que tenho uma doença e quero logo procurar um médico.

Gostaria de saber se isso e um sintoma dessa Síndrome, de qualquer coisinha achar que tem uma doença, ou se as dores podem ser resultado do sistema nervoso, mesmo não tendo nada.

Resposta:

Não se preocupe. Durante a fase de Ataques de Pânico, qualquer resfriado a pessoa já acha que é pneumonia. Tudo isso vai passa como tratamento. Você é nova e tem tudo para se livrar do Pânico definitivamente. Não deixe teu cérebro criar Efeito Kindling.

 

Pergunta:

Minha filha tem 13 anos há uns dois anos começou com medo de elevadores e metrôs, agora está ficando pior, não anda na rua sozinha, não consegue ficar onde haja multidões, não fica em casa sozinha, não quer fazer cursos porque tem medo de ficar com gente que não conhece, não freqüenta festas.

Quando é forçada a isso fica com uma ansiedade enorme e quer comer, dizendo que tem fome, mas sei que é por causa da ansiedade. Isso tem cura?

Brevemente vai passar com um Psiquiatra no HC.

Resposta:

Sim, tem cura e o atendimento no Hospital das Clínicas é ótimo

 

Pergunta:

Gostaria de saber se o horário de tomar os medicamentos para tratamento de Síndrome de Pânico, pode ter influência no resultado. A tomada deve ser feito todos os dias a mesma hora ou isso não faz diferença no resultado?

Resposta:

 

O ideal é que o médico planeje um tratamento com uma dose única de remédios por dia, e que não exija horário exato, caso contrário o tratamento acaba sendo outro transtorno na vida do paciente. A maioria dos Antidepressivos tem uma vida média bem longa, de modo que não faz mal tomar em horários diferentes a cada dia.

 

Pergunta:

Tomo Alprazolam 0,5 um pela manhã e um à noite e Sertralina 50 mg só pela manhã em dias alternados. Como minha ansiedade aumentou chegando ao Pânico o psiquiatra aumentou o Alprazolam para 1 mg à noite, e continuo c/ 0,5 pela manhã.

Minha dúvida é: vale a pena eu aumentar o medicamento, pois durmo bem não seria melhor eu tomar essa dose a mais apenas nas crises?

Minha psicóloga disse que essa dosagem é para não entrar em crise, mas se o remédio dura no máximo 8 horas será que resolve?

Resposta:

A psicóloga tem razão, o Alprazolam (Frontal, Apraz) é excelente para evitar o aparecimento das crises ou para acabar com elas.

Mas o principal seria o antidepressivo, Sertralina (Zoloft, Tolrest, Assert) ou outro.

Se o antidepressivo fosse o adequado para você ou se a dose fosse adequada, você não precisaria mais de ansiolítico.

Porque você toma Sertralina em dias alternados ???

 

Pergunta:

Meu nome é Fabio tenho 27 anos e sinto falta de ânimo, medo de sair, de dirigir, de encarar as pessoas e de passar mal na rua ou no trabalho, pois eu sinto umas sensações ruins no corpo.

Eu costumava beber muito quando tinha problemas, parei e comecei a usar o Clopam (Rivotril) e o Procimax (Citalopram) e melhorei muito. Mas quando o Clopam acabou eu não pedi mais, tenho medo de estar ficando louco ou com algum tipo de demência.

Resposta:

Não se preocupe, Demência não existe na tua idade. Se você quis dizer Esquizofrenia, os sintomas não são esses. Provavelmente o excesso de bebida desencadeou um Transtorno do Pânico cujo tratamento com Citalopram ainda não foi eficaz. Talvez por causa de dose muito baixa do Citalopram.