Tenho uma namorada que sofre de Síndrome do Pânico.

Psicoterapia em São Paulo

Pergunta:

Tenho uma namorada que sofre de Síndrome do Pânico. Depois de alguns meses ela teve uma crise ao meu lado e, depois que se controlou, me contou o que era. 

Conheço ela a 4 anos e namoro há dois. Até eu começar a namorar ela, eu não fazia nem ideia que ela poderia ter isso. E não teve mais nenhuma crise até cerca de três meses atrás, quando voltou a ter com mais frequência.

 

Ela faz um tratamento sob medicação com um psiquiatra, e quando começou a voltar, trocou a medicação, mas desde então, não está tendo uma sequência de tempo sem ter uma crise.

Eu sei que só pelo meu relato não tem como o senhor diagnosticar nada e nem é minha intenção no momento.

O que eu gostaria era mesmo entender mais sobre o assunto, principalmente em como posso ajudá-la a prevenir as crises, a orientá-la sobre opções de tratamento, e a como ouvir sem atrapalhar quando ela está tendo a crise….

Eu já li algumas coisas na internet sobre não dizer no momento da crise fique calma, relaxe ou acontece.

E que não devo tratá-la como coitadinha nem fazer pressão para que ela busque o tratamento adequado.

Mas ainda não sei exatamente o que fazer, como fazer, como falar com ela sobre o assunto, como abordar sobre outros tratamentos. Se o senhor me puder me indicar alguns artigos ou livros sobre o assunto eu agradeço.

Resposta:

Marcelo, se ela continua tendo crises, apesar da medicação que toma, sugiro que ela questione com o médico a medicação que está tomando ou procure outro psiquiatra para obter acerto na medicação e não ter mais crises, e fazer uma Psicoterapia para se confrontar com as causas que precipitam a Síndrome do Pânico.

 Você imprimir artigos sobre Síndrome do Pânico e dando para ela ler é bom, quanto mais ela estiver informado sobre o que tem é melhor.

Estar pronto para atende-la quando ela precisar e quiser é o suficiente. Mas uma medicação correta e Psicoterapia é imprescindível.

Psicólogo Juarez Lopes Neto