Psicoterapia em São Paulo

Pergunta:

Olá, gostaria uma posição sobre me consultar ou não com um profissional da área, no meu caso gostaria de saber se tenho algum problema psicológico, pois tenho casos na família por parte de minha mãe, sou um homem desde pequeno sinto muita dificuldade na relação com as pessoas.

Até mesmo no trabalho não suporto ordens, me sinto inferiorizado com ordens, no meio social e na vida, quando tenho algum sucesso fica difícil saber me situar de forma que não consigo dar sequência a isso.

Acabando esse período de sucesso me fecho, me acho derrotado e sem importância para ninguém, logo me colocando em depressão, mesmo me considerando um homem de fácil fala, fica difícil retornar as minhas atividades, isso se torna uma montanha russa até que por outros motivos me forço a me levantar novamente recomeçando o ciclo, tenho medo, pois tenho um tio com Síndrome do Pânico e um Esquizofrênico, problemas que só se manifestaram após os 45 anos de idade, vi pode me ajudar agradece.

Resposta:

Em primeiro lugar, nada do que você descreve parece ser nem Síndrome do Pânico nem Esquizofrenia, felizmente.

Eu procuraria um ou uma Psicoterapeuta, mas que tenha experiência com medicamentos e com clínica.

Se esse teu comportamento for “só” psicológico, a psicoterapia deve ajudar muito a você ficar mais constante.

Mas como existe a possibilidade da tua trajetória estar sendo constantemente interrompida por alguma fase depressiva, é bom que a Psicóloga conheça o assunto e te encaminha para ser medicado, se for necessário.

 

Pergunta:

Há cerca de 5 anos tive adoecimentos psíquicos diversos (Depressão, fui diagnosticada como portadora de Transtorno de Personalidade, Transtorno Alimentares diversos), fui internada em clínica psiquiátrica e tive tentativas de suicídio, mas com a melhora da sintomatologia, depois que eu saí de casa eu parei de tomar os remédios (com acompanhamento do médico, uma vez que várias tentativas medicamentosas não deram muita diferença no quadro) e recebi alta, permanecendo apenas com Terapia.

Passei em um concurso público e me casei, estava vivendo normalmente, não havia sintomas grandes de nenhum adoecimento psíquico mas, de uns 3 meses para cá, embora eu esteja estável, ando com dificuldade de ir trabalhar por um sentimento de detestar todo mundo.

Evito até mesmo ir ao mercado comprar algo para comer ou pegar ônibus. Sinto ódio gratuito e uma espécie de nojo das pessoas que me impossibilita amizades, trabalho, estudos, tudo.

Há uma série de doenças físicas aparecendo, como fibromialgia, taquicardia e tremores além de desconfortos abdominais e infecções frequentes, a minha imunidade nunca foi tão baixa.

Estou com dificuldades para dormir e insônia, passo boa parte do tempo irritada, ansiosa, preocupada e como se estivesse em estado de alerta o tempo todo, sob ameaça.

Penso que poderia ser um quadro de Ansiedade ou Fobia Social, mas não sei se faz sentido. Se houver chance de ser um adoecimento psíquico, o que eu devo fazer?

Tenho medo de voltar a tomar remédios e evito ir a Psiquiatras por esse motivo, não consigo confiar no tratamento e sempre acho que eles não sabem o que estão fazendo, acho que é por causa do meu tratamento anterior, onde os remédios só agravaram meu quadro e encontrei muitos profissionais ruins.

Como proceder ao reconhecer precisar de tratamento, mas mesmo assim ter desconfiança da capacidade do médico?

Sugiro procurar um Psicoterapeuta bom, que tenha contato com um Psiquiatra clínico. No decorrer da Terapia, caso haja necessidade de um medicamento estabilizador, por exemplo, o Terapeuta conversaria com o Psiquiatra para organizar a parte clínica do tratamento.

Resposta:

Essa variedade de sintomas físicos sugere que tua ansiedade está bem alta. Provavelmente um medicamento para controle de ansiedade vai inclusive facilitar o progresso da Psicoterapia.

 

 

Pergunta:

Eu sou extremamente pavio curto, inclusive, até minha família toma cuidado para falar comigo. Se contar-me uma história e demorar, eu já mandou pular para o final. Se falo algo e alguém me contraria eu já solto os cachorros.

Tenho episódios de irritação a todo o momento. Admito, isso me prejudica tanto profissionalmente, e também junto a minha família. Muitas vezes quando eu vejo já rasguei o verbo.

Resposta:

Olá, Edson. É claro que existe tratamento e você se beneficiaria com ele. Não é fácil ter pavio curto! Além de prejudicar suas relações, viver dessa forma é muito desgastante, não? Procure por um Psicólogo, ele fará uma avaliação e caso necessite encaminhará para um Psiquiatra.

Boa sorte, Psicóloga Aline Basaglia.

 

Pergunta:

Gostaria de saber se existe algum tratamento, medicação ou qualquer outra coisa para ajudar um familiar com transtorno de comportamento antissocial. Até o momento já consultamos uma Psiquiatra que não deu esperanças e começamos agora com uma Psicóloga. Por favor, indique um especialista!!!

Resposta:

Infelizmente não existe nenhum tratamento para transtorno de comportamento antissocial até agora.