Tratar doença neurológica em São Paulo

Pergunta:

Tenho 28 anos e desde os 14 ou 15 apresento estes sintomas: memória fraca, rigidez muscular, espasmos musculares, fraqueza muscular, movimentos involuntários da cabeça, perda de equilíbrio, dificuldade para falar, dificuldade para andar (parece não haver coordenação motora) tremores em todo o corpo, dificuldade de atenção e concentração.

Já fiz Eletroencefalograma, Eletromiografia e Hemograma completo, não deu nada. Queria saber quais doenças possivelmente se encaixam nesses sintomas?

Resposta:

Seus sintomas podem estar relacionados a uma forma de distonia muscular, com distúrbios associados como falta de atenção, e falta de concentração. Existem outras possibilidades de distúrbios neurológicos, na área de distúrbios dos movimentos. O exame presencial com algum neurologista, especialmente da área de distúrbios dos movimentos, seria fundamental para concretizar um diagnóstico completo. Como você mora em uma cidade pequena, talvez deveria procurar uma cidade maior próxima, que tenha um Centro Universitário (Faculdade de Medicina).

Atenciosamente, Prof. Dr. Luiz Augusto F. Andrade.

 

Pergunta: 

Tenho 30 anos e sofri acidente de moto em 2001. Até julho de 2002, data da minha Cranioplastia com implante de tela de Titanium, tive uma vida normal e comum.

A partir desta data no intervalo médio de 2 meses tenho crise convulsiva com perda de coincidência e fortes tremores.

Minha dúvida é se não estaria melhor sem a tela e sobre o atual tratamento com Hidantal (300 mg ao dia) + Topamax (100 mg ao dia).

Resposta:

A tela de Titanium não determina qualquer alteração na função cerebral, e na verdade, se constitui num avanço para a Cranioplastia.

A medicação utilizada para o controle das crises deverá ser discutida com o seu médico assistente pois está, a meu ver, absolutamente correta.

É frequente o aparecimento das crises alguns meses após o acidente, o que poderia estar coincidindo com a correção da falha óssea.

Dr. Hallim Feres Jr., Neurocirurgião.

 

Pergunta:

Tenho uma amiga, que devido á uma cirurgia de retirada de um nódulo na tireóide, sofreu uma isquemia cerebral após a cirurgia, faz aproximadamente 12 anos, teve sequela motora, na fala e postural, minha pergunta é: ela não consegue escrever, mas consegue digitar e dirigir, procurando uma motivação para os dias dela, sabendo que tocava violão exemplarmente, queria saber se existe a possibilidade de que ela tenha condições de voltar a tocar, é possível que com cautela e a longo prazo ela consiga voltar a tocar?

Resposta:

Apenas o Neurologista que a acompanha tem condições de responder a essa pergunta.