Não consigo entrar na piscina, parece que ela vai me levar.

Tratar Fobias em São Paulo

Pergunta 1:

Quando estou diante de uma piscina, entro em pânico. Não consigo entrar na piscina, parece que ela vai me levar, sinto um medo terrível de água.

Isso me prejudica muito, pois todos riem de mim.

Resposta:

O tratamento disso dessa fobia de piscinas pode ser muito mais fácil do que você pensa, procure uma psicóloga Cognitivo Comportamental (TCC)

 

Pergunta 2:

Dr., há 20 anos tomo Rivotril, estava em 2 mg diárias, pela manhã. Sentia-me controlado mas disseram que para meu caso - Pânico/Ansiedade Generalizada - haviam outras drogas mais eficientes e menos danosas.

Resolvi alternar, comecei com Citalopram (juntamente com a gradual redução do Rivotril que cheguei a 1 mg), por um mês mas esse medicamento literalmente extinguiu orgasmo e ejaculação.

Passei então para Zoloft (estou na primeira semana) mas os sintomas de medo-de-não-sei-o-quê persistem, as dificuldades para decisões e uma certa Fobia de decisões e iniciativas (profissionais principalmente).

A pergunta seria longa mas para resumir, é mesmo aconselhável livrar-me do Rivotril e, ao mesmo tempo, é verdade que posso ter uma vida melhor com antidepressivos assim como esse Zoloft? Existe a possibilidade de que eu consiga suportar a normalidade do dia-a-dia sem os medos que mencionei?

Resposta:

O Rivotril é sintomático, trata os sintomas, não a causa. Mas às vezes os Antidepressivos também. É por isso que recomendamos Yoga, Meditação, Psicoterapia, esportes.

Claro que muitas vezes os remédios sozinho resolvem o problema, porque a pessoa acaba trocando o comportamento fóbico-ansioso por um comportamento mais normal e o reforço positivo cria um círculo virtuoso (antes era círculo vicioso ansiedade – fobias – mais ansiedade).