Tratar Distimia com Sertralina, Citalopram, Fluoxetina, Venlafaxina ou Bupropiona.

Tratar Distimia com Psiquiatra do Einstein

Pergunta:

Tenho quase 61 anos e recentemente fui diagnosticado com Distimia, o que explica algumas passagens da minha vida. Foi um certo alívio, antes eu pensava que simplesmente era assim. A minha médica me prescreveu Efexor (iniciei com 75 e agora estou tomando 150 mg/dia).

Li em algum fórum que o Efexor não seria o remédio indicado para Distimia e também não seria um remédio para tomar durante toda vida (provavelmente eu teria que tomar pelo resto dos meus dias, e não me importo). À noite tomo Donaren.

Qual a sua opinião a respeito de Efexor e Distimia? A médica também me aconselhou terapia, mas não estou com vontade de fazer. Não estou querendo mudar muito e, além disto, acho que já estou velho para isso. Tenho consciência racional dos meus problemas e poderia se argumentar que falta o emocional. Mas, realmente no momento não quero. Já fiz terapia no passado e não vi muitos resultados.

Resposta:

Efexor (Venlafaxina, Venlift OD, Venlaxin) pode ser muito eficaz em Distimia sim. Se não for eficaz na tua Distimia, é só trocar.

Se é para o resto dos teus dias ou não, ainda é cedo para se preocupar com isso, mas se os exames de sangue não acusarem nenhum problema, por exemplo, no fígado, relacionado ao Efexor, pode tomar muitos anos sim!

Com relação à terapia, aos 61 anos, em parte você está certo, em parte não está.

Parte do teu comportamento do dia a dia vem da sua personalidade, mas parte vem da Distimia e às vezes é bom um terapia para dar uma limpada em comportamentos Distímicos.

 

Pergunta:

Tomo 150 mg de Cloridrato de Venlafaxina pela manhã e meio comprimido de Rivotril à noite. Há seis meses, entretanto, tive uma mudança de cidade - por conta de meu emprego - ficando mais próxima da família, e estou prestes a morar junto com meu noivo.

O novo ambiente de trabalho, por incrível que pareça, mesmo sendo mais próximo da minha cidade onde moro, ao invés de melhorar, piorou.

Tive dois acidentes com meu joelho, em curto espaço de tempo.

Desde então, meu quadro piorou muito. Passei a ter insônia crônica e o tratamento com 150 mg de Venlafaxina e Rivotril não conseguiu conter esse meu estado.

Minha médica pediu, então, que eu passasse a tomar 225 mg do mesmo antidepressivo.

Só que, já há 10 dias com essa dosagem, não sinto melhora no meu estado de ânimo, e passei a sentir efeitos físicos indesejados, como enjoo, tremores nas mãos, irritação, pressão na nuca.

Continuo com a Psicoterapia. Gostaria de uma segunda opinião: devo sugerir a troca de medicamento a minha médica, isto tudo é devido aos acontecimentos atribulados dos últimos meses ou estou ficando resistente ao tratamento? Obrigada.

Resposta:

Olha, com tantas opções de tratamento, por que insistir na Venlafaxina (Efexor, Venlift, Venlaxin) que não trouxe resultados maravilhosos e está te trazendo colaterais?

Eu pediria para a Psiquiatra trocar o antidepressivo.

 

Pergunta:

Tenho 55 anos e sou Distímica desde a adolescência. Não me tratei até os 36 anos, quando comecei a fazer psicoterapia (fiz dos 36 aos 52 anos). Comecei com os medicamentos antidepressivos há 10 anos, mas tomava durante um período e quando os sintomas desapareciam eu interrompia o tratamento.

Agora estou em tratamento contínuo há um ano e meio tomando 150 mg de Bupropiona + 150 mg de Venlafaxina 2 vezes ao dia.

Os sintomas da Distimia melhoraram muito, entretanto a minha memória está péssima (ela piorou bastante desde que iniciei com esta medicação).

Queria saber a opinião de vocês sobre a causa da perda de memória, se ela pode reverter e se pode evoluir para algo mais grave, como Alzheimer, por exemplo.

Se meu psiquiatra não der importância às minhas queixas, posso procurar um neurologista e fazer um tratamento para a memória, concomitantemente ao uso dos antidepressivos?

Existe algum trabalho científico que relacione o uso prolongado de antidepressivos com a perda de memória?

Podem indicar um especialista em distúrbios da memória no Rio de Janeiro?

Resposta:

É improvável, mas qualquer remédio de uso contínuo pode, com o tempo, provocar efeitos colaterais raros. A diminuição da memória seria um deles.

Algumas pessoas se sentem aceleradas com Bupropiona (Wellbutrin XL, Wellbutrin SR, Bup, Zetron, Zyban) e a aceleração atrapalha a fixação das memórias, assim elas acham que a memória está falhando quando na verdade ela não está sendo fixada.

Alzheimer com 55 anos existe, mas é extremamente raro. Claro que você pode tratar a memória paralelamente, mas acho que teu médico vai preferir parar um dos dois antidepressivos de cada vez, para ver se um deles é o culpado pela perda de memória.

 

Pergunta:

Olá, tenho 36 anos há 3 anos atrás fui ao médico com os nervos à flor da pele, chorando, dores de cabeça muito forte e sem dormir.

Conclusão: Distimia, ele me passou Sertralina, fiquei super bem mas engordei demais, perdi o convênio e o outro medico trocou para Fluoxetina, continuei engordando agora tomo Citalopram há quase 1 mês, voltou meu sono, mas continuo muito nervosa e desanimada, tenho muita raiva ou desanimada demais não consigo ouvir meus filhos quero me isolar ou dormir, gostaria de ser como antes uma pessoa tranquila risonha, paciente...

Será que o remédio está certo, demora pra fazer efeito?

Resposta:

Vamos separar as coisas.

Para emagrecer, você deveria fazer dieta e exercícios físicos, ao invés de ficar trocando o tempo todo de medicamentos.

E caso você sofra mesmo de Distimia, você deveria esperar do medicamento a melhora do astral, não a perda de peso.

 

 

 

FALE COM O DOUTOR