Tratar Distimia em São Paulo

Pergunta:

Boa noite, um diagnóstico de Distimia só é feito por um psiquiatra? Também me identifiquei com os sintomas... Gostaria de saber se esses mesmos sintomas podem ser de certo modo, características de uma personalidade.

Sempre fui mal-humorada, estressada e principalmente pessimista (desde criança), mas justificava tudo com a falta de amor em família e com o fato do pai ser irritadíssimo e mãe depressiva, pensava que teria que conviver com isto por toda vida, mas esses sintomas têm se intensificado e me atrapalhado ao ponto de ser chamada a atenção no trabalho (que estaria sendo grossa desnecessariamente).

Na faculdade recebi advertência verbal por estar mobilizando colegas contra a faculdade por problemas que poderiam ser resolvidos com conversa civilizada.

Meu noivo tenta sempre me acalmar porque em qualquer lugar que vamos eu brigo com todo mundo.

Só que eu não acho que estou errada, por exemplo acho um absurdo ficar horas na fila de banco, estou lá para pagar não pra pedir, só que não aceito calada como toda pessoa normal faz, tudo que foge às regras, as leis, que seja injustiça, me revoltam e se eu não falar tudo que penso, parece que vou infartar de tanta raiva que me sobe, chego a ficar vermelha.

Preciso muito de ajuda, não aguento mais ser taxada de chata, mal-humorada e de antissocial, sinto-me mal quando brigo, só que não consigo evitar, vejo algo errado e sempre me mito. Desde já agradeço as futuras palavras que com certeza irão me ajudar!

Resposta:

Às vezes é muito difícil diferenciar Distimia de um Transtorno de Personalidade, pois como a Distimia começa muito cedo ela acaba moldando a personalidade da pessoa.

Mas o tratamento pode beneficiar tanto a Distimia quanto eventuais traços de personalidade.

 

Pergunta:

Boa tarde. Fui diagnosticada como Distímica, tratei com Psiquiatra (parei com a medicação temporariamente para fazer uso de Sibutramina, uma vez que a associação pode ser perigosa). Continuo com a Psicóloga. Faz 2 meses que não uso o Donaren nem o cloridrato de Bupropiona. Ainda não tive Depressão forte com a interrupção.

Sinto que melhorei muito, uma vez que não tenho mais comportamentos inadequados para tentar chamar a atenção ou despertar piedade alheia.

Tenho vivido numa boa. O problema é que meu marido acha que não melhorei nada só pelo fato de eu não querer relacionar-me com a filha dele (que nunca demonstrou contentamento com minha presença).

Apenas quero evitar o contato com essa moça. Mas parece que ele me julga anormal por eu fugir de uma situação que me deixa com sintomas de Fobia Social.

Isso só acontece na presença dessa filha dele. Com as outras, tenho contato normal.

Será que é anormal uma pessoa querer ficar longe de uma situação que a faça sofrer? Vivo bem com meu marido. O problema é o fato de ele dizer que não é normal esse meu isolamento em relação a essa filha dele.

Só quero paz na minha vida. Isso é ser anormal? Me dê uma luz. Obrigada.

Resposta:

Quando temos uma doença (no caso a Distimia), isso não quer dizer que todos os nossos comportamentos veem dessa doença. Justamente nessas situações uma Psicoterapia pode ser muito importante, inclusive, às vezes, uma Terapia de Casal.