A Distimia tem cura com medicação ou sempre haverá recaída?

Psiquiatra do Einstein trata Distimia

Pergunta:

Tenho Distimia desde que me conheço por gente. Já tomei Prozac, Paxil CR, Lexapro, Procimax. Todos esses medicamentos funcionaram bem durante algumas semanas e depois cessaram o efeito terapêutico por completo. Porque ocorre isso?

Cada vez que isso acontece é uma grande decepção. Também passei a fazer Psicoterapia por insistência do meu psiquiatra, mas acho isso totalmente inócuo, sem sentido, ridículo mesmo.

Será que vale a pena continuar a psicoterapia nessas condições? Será que existem medicações mais estáveis no mercado? Ou o meu caso não é tratável?

Resposta:

Pode ser por que:

  • Foram tomados em doses baixas demais.
  • Não eram os ideais para você.
  • Os quatro Antidepressivos que você tomou têm o mesmo mecanismo de ação. Talvez você precisasse um Antidepressivo de mecanismo de ação diferente para o efeito “firmar”;
  • Talvez você precise de um Estabilizador de Humor junto com o Antidepressivo no começo, para depois manter apenas o Estabilizador de Humor.

 

Pergunta:

Estou em tratamento para Distimia. Quando tomava 30 mg de Paroxetina por dia tive uma melhora moderada. Com o aumento gradativo da dose para 60 mg o medicamento foi perdendo o efeito. É possível que a dose ideal tenha sido ultrapassada?

Resposta:

O mais provável é que ela não seja sua medicação ideal. Vale a mesma reposta da pergunta anterior.

 

Pergunta:

Olá, tenho 28 anos e tenho Distimia diagnosticada há um ano e meio, embora tenha sempre sentido, desde a infância, os sintomas da Distimia.

Inclusive, já havia passado por tratamentos psiquiátricos anteriores, sem sucesso, em que se diagnosticava Depressão, o que eu entendo, hoje, por episódio depressivo.

Melhorava com a medicação, deixava de tomar o remédio, mas depois voltava. Enfim, neste último ano e meio, desde a detecção de Distimia, tenho me tratado com psicoterapeutas e psiquiatras.

Resposta:

Vale a mesma reposta da pergunta anterior.

 

Pergunta:

Tive Depressão há um ano e meio e tratamento com psiquiatra, (Trileptal 600 mg) me recuperei do estado depressivo.

Acho que já tinha Distimia por muitos anos e atualmente acho que continuo no estado de Distimia, aliás acho que sempre estive nesse estado.

Continuo tomando a mesma dosagem da medicação. Tenho as seguintes dúvidas:

  • 1. É necessário continuar tomando a medicação, mesmo não estando depressiva, mas embora no estado de Distimia?
  • 2. O organismo não tem a tendência de se acostumar com a medicação e fazer menos efeito com o passar de um longo tempo?
  • 3. A Distimia tem cura com a medicação? Ou sempre haverá a chance da recaída?

Resposta:

  • 1. O estado Distímico exige muito mais tempo de medicação do que a Depressão para melhorar.
  • 2. Não, com antidepressivos ocorre o contrário dos calmantes. Quanto mais tempo se toma, mais firme é o efeito (dentro de certos prazos).
  • 3. Pode recair sim, mas o que se espera é que a mudança de hábitos provoque mudanças no ambiente externo e em seu psiquismo de modo que fique cada vez menos Distímica.