Depressão e Câncer

Tratar Depressão com Psiquiatra do Einstein

Pergunta:

Minha mãe, de 66 anos, teve diagnóstico de câncer no ovário em 1995. Foi operada e vinha fazendo tratamento quimioterápico. Até aí estávamos indo bem (mais ou menos). No ano passado fez um exame Videolaparascópico para detectar porque o Ca 125 não baixava. Desde então ela vem piorando e apresentando estado Depressivo, o que é péssimo para ela e para toda a família.

Pergunta:

Tive câncer. Antes, como hoje, tenho os mesmos sentimentos: como compulsivamente num grande sentimento de autodestruição. Sinto-me fracassada, disforme, enojada de mim, suja por dentro e incapaz de acreditar que posso sair deste buraco que me encontro.

O vazio é imenso, angústia, raiva de mim.

Me apavoro em pensar que a doença pode voltar.

Junto de tudo isto, sinto muito sono, desânimo, vontade de ficar na cama e dormir as 24 horas por dia.

Comecei um tratamento com Psiquiatra e estou tomando Cipramil e Olcadil.

 

Resposta:

O Câncer, o trauma psicológico ligado ao diagnóstico e seu tratamento podem provocar uma Depressão e podem piorar uma Depressão pré-existente.

O tratamento do Câncer pode desencadear uma Depressão não apenas pelos efeitos físicos indesejados dos Quimioterápicos mas também como um efeito colateral deles.

Muitos casos de Stress pós Traumático são desencadeados pelo diagnóstico de Câncer.

Geralmente o tratamento é feito com medicamentos, que podem ser Antidepressivos ou Psicoestimulantes mais Psicoterapia, que é muito importante nesses casos.

A Psicóloga Ivonete Garcia tem grande experiência em tratamento de Depressão e Stress pós Traumático de pacientes oncológicos.

Ela trabalhou anos com esses pacientes no Hospital Israelita Albert Einstein em São Paulo.