Hoje tem exatamente dois meses que estou tomando Anafranil e sinto-me quase 100%

Depressão, Pânico e Psicose na Gravidez e pós Parto

Depoimento:

Gostaria de aqui nesse site prestar meu testemunho que o Transtorno do Pânico tem cura! Ou então a melhora é tão significante que é considerada uma cura perante os terríveis sintomas que esse distúrbio nos causa. Tenho 37 anos e hoje tenho consciência que sofri de Pânico minha vida toda.

Antes tinha pequenos medos na infância que me tiravam toda a liberdade de aproveitar essa parte da minha vida. Depois na adolescência, coisas que não fazia devido a medos que eu achava que era apenas um caso de timidez.

 

Meu primeiro Ataque de Pânico deu-se quando eu engravidei e por destino fiquei presa em um elevador durante 40 minutos. Não foi só medo foi Pânico mesmo, senti tudo que vocês que sofrem desse distúrbio sentem além de ter medo de perder meu bebê por causa dessas sensações.

A partir daí não fiquei mais sozinha, sempre tinha alguém do meu lado pra sair, pra dormir e até pra tomar banho. Alguém tinha que ficar no banheiro comigo.

Meu esposo e minha mãe viraram meus escravos. Tive minha filha e uma forte Depressão pós Parto, não cuidei dela por um ano. Depois de passar por todas as especialidades médicas existentes, resolveram me levar a uma Psiquiatra que diagnosticou Depressão, me receitou um medicamento e eu fui melhorando.

Mas sempre alguém tinha que me acompanhar nos lugares que raramente ia, pois detestava multidão.

O tempo foi passando, as crises de Pânico voltaram e ela trocou o medicamento. Só tive melhora parcial e assim foram 15 anos de minha vida triste, deprimida, medrosa, improdutiva.

Descobri que estava grávida pela segunda vez, quase morri quando vi o resultado, fiquei no hospital tomando calmantes.

Quando voltei pra casa deitei na cama e resolvi que dali não sairia mais, chorava dia e noite, meu coração disparava, tinha suores, o corpo esquentava e esfriava, etc.

Minha médica suspendeu todos os remédios, dizia que faria mal ao bebê.

Com instinto de mãe aguentei 18 semanas a seco sem tomar nada parecia que eu estava no inferno.

Depois disso ela me liberou um Antidepressivo, mas na dose mínima; melhorei o suficiente para dar à luz ao meu filho com 39 semanas de gestação.

Ela me disse que eu não poderia amamentar se continuasse tomando os remédios foi uma notícia muito ruim, pois eu tinha muito leite, mas tinha ataques de Pânico e Depressão.

Resolvi parar de amamentar chorei dias por causa disso.

Então navegando na net descobri esse site e me empolguei muito com ele. As palavras do Dr. Rubens Pitliuk me davam ânimo.

Resolvi marcar uma consulta com ele e foi a melhor coisa que me aconteceu até hoje. Em poucos minutos contei minha história ele me passou um medicamento e aumentou a dose do outro e disse que grávidas e nutrizes podem se tratar da Depressão e do Pânico.

Mas meu leite já tinha secado, que pena!

Hoje, depois de um mês de tratamento me sinto curada faço tudo que uma pessoa considerada normal faz.

Não sei se vou voltar a ter novamente esse problema, mas faz 30 dias estou curada e toda noite quando vou dormir agradeço a Deus por ter me permitido mais um dia curada.

Vocês que estão lendo isso procurem um médico que esteja inteirado das novidades em psiquiatria que estude.

Eu adoro minha médica, mas ela não sabia que eu poderia ter tido uma gravidez melhor e que eu poderia amamentar.

Ou até quem sabe já teria me medicado com a cura há muito mais tempo.

Procurem médicos atualizados interessados pelo assunto, insistam, persistam, não deu certo com um medicamento, existem outros, existem combinações mil. Não desistam, existe cura!

 

Depoimento:

Há oito meses tive meu segundo filho. Nasceu prematuro de oito meses. Passou 10 dias em uma UTI Neonatal. Período muito triste para mim.

Quando saiu do Hospital, comecei a ter umas sensações estranhas achava que não daria conta de cuidar dele e do irmão.

Esses pensamentos foram sendo controlados, até o dia em que retornei ao trabalho.

Tive uma crise de Pânico dentro do metrô e a partir de então comecei a ter pensamentos confusos, dores no peito que não eram diagnosticadas por cardiologistas.

Relutei muito em ir ao Psiquiatra, achava que era coisa de louco.

Enfim, fui e confesso encontrei um excelente médico que me indicou um antidepressivo.

Hoje tem exatamente dois meses que estou tomando Anafranil e sinto-me bem quase 100%, mas devo muito mais à minha fé em Deus, pois é através Dele que temos a cura para nossa vida.

Deixo a todos: não desanimem, procurem ajuda médica e acima de tudo creiam em Deus, ocupem-se suas mentes e corações com Deus que com certeza.

Ele mudará suas vidas. DEUS ABENÇOE A TODOS e saiba que há uma saída para você!