Sofri abuso sexual por parte do meu irmão mais velho.

Tratar Borderliine em São Paulo

Depoimento:

Hoje tenho 27 anos e entre os 7 e 8 anos, não me lembro minha idade direito fui vítima de abuso sexual pelo meu vizinho, avô de minha melhor amiga de infância.

Me afastei deles e de todos da casa que eu frequentava todos os dias. Ele pegou pela minha mão e me levou para uma plantação de cana que existia no quintal deles e me deitou.

Tudo foi muito rápido, só me lembro que doía muito e que ele pediu para eu tocar nele também, foi muito ruim, fiquei assustada, corri muito. 

Não contei para ninguém, escondi, da minha vó que me criou, de minhas tias, de todos, sei lá, às vezes acho que tenho algumas atitudes que são reflexos dessa situação que eu vivi, tento não pensar muito nela.

Mas não dá, a ferida da alma é eterna. Fiz cura interior na Igreja que me ajudou demais.

Fiz terapia e depois de quase um ano consegui falar para minha Terapeuta isso, mas não contei tudo para ela.

Tenho muita vergonha, faz anos que não falava sobre isso, a última vez que eu contei foi no ano passado para uma pessoa que trabalha comigo. Nem sei como contei para ela. Esse homem morreu, minha mãe chegou toda triste no dia, filha você não acredita quem morreu, foi ciclano.

Foi uma mistura de dor, raiva, reprimida, sei lá, a família dele acho que nunca imaginou o que ocorreu com a gente, mas eu tenho essa marca em mim e foi difícil conviver com ela e aceitá-la, mas hoje tenho quase 30 anos, me preocupo demais com meus irmãos menores, amo meus poucos e fiéis amigos, tento conviver bem com as pessoas embora seja difícil compreender o ser humano.

Esse é um pedaço de mim, um segredo oculto, meus pais nem sonham com isso, acho que agora nem adianta contar. Pra que né? Que todos nós possamos encontrar nossa luz e agradeço a Deus por sempre estar comigo em cada instante de minha vida!

 

Depoimento:

Tenho 34 anos e sofro de transtorno dissociativo Borderline. Levei 20 anos da minha vida tentando descobrir o que eu tinha.

Esqueci parte da infância e adolescência, pelo o menos as partes ruins e traumáticas. Sofri abuso sexual por parte do meu irmão mais velho, o mesmo me obrigava a manter relações sexuais com seus amigos.

Me transformei em uma menina promíscua que achava que todo e qualquer homem era para abusar de mim.

Coisa horríveis fui obrigada a fazer sem falar na violência física uma vez que esse irmão era usuário de drogas.

Depois na fase adulta sofria de crises de pânico que duravam a noite toda.

Cortes eram comuns assim como também a vontade de suicidar-me.

Sempre me via como que em um filme e achava isso muito estranho.

Tinha comportamentos completamente opostos, às vezes uma pessoa comportada e discreta, outras vezes desequilibrada, com sensualidade e provocativa na questão sexual.

Sem limites no que dizia respeito a sexo. Sodomia era freqüente.

Mas desde que fiquei doente emocionalmente, comecei a perceber que algo estava errado comigo.

Os remédios não me ajudaram porque eu queria chegar à raiz do problema, uma vez que não me lembrava de nada.

Fiz terapia, e graças a um profissional dedicado e amigo, consegui descobrir o que tanto me torturava.

Vou confessar que quis desistir muitas vezes, achei muitas vezes que a culpa era minha e que ninguém nunca tinha feito nada para me ajudar.

Digo a todas ou todos que passaram elo o mesmo que eu, que vale a pena lutar.

Nós não tivemos culpa pelo que aconteceu, que seja abuso sexual ou violência física ou psicológica.

Se eu tivesse desistido não teria descoberto o que tenho.

Sei que demora, perdi 20 anos da minha vida, e sei que ainda não estou totalmente recuperada do que aconteceu e nem da minha doença.

Mas o que vale a pena é lutar e não deixar que a perversidade que nos foi imposta perdure por toda a nossa vida.

Hoje sou uma mãe orgulhosa e uma mulher que não perdeu a beleza física e graças a deus nem a espiritual.

Enquanto eu estiver viva vou lutar para reverter o que me fizeram e conseguir conviver com o meu problema.

Não é fácil, mas sentir a melhora gradualmente e sentir depois de tanto tempo quem eu realmente sou, vale todo o sacrifício.

Nunca desistam, amem-se mesmo que quem deveria não amou.

Agora é a nossa vez de provar do que realmente somos capazes.