Busquei drogas, álcool, cigarro, diversos parceiros, tudo pra me preencher.

Tratar Borderliine em São Paulo

Depoimento:

Estou passando por uma situação com a qual não sei lidar. Tenho lembranças de ter sido molestada sexualmente quando criança pelo avô de minha melhor amiga.

Tive uma série de problemas, meu pai é alcoólico, mas sempre trabalhou e cuidou bem da família, fazia mais mal a si do que aos outros. Sempre tive um comportamento sexual exacerbado, me masturbo quase diariamente desde os 9, 10 anos.

Conheci meu ex-marido com 14 anos, com ele perdi a virgindade e tive um filho, sete anos depois.

Me separei dele e me envolvi com um demônio.

Sofri todos os tipos de abuso possíveis, físicos e psicológicos.

Meu filho de 3 anos viveu 11 anos de inferno junto a mim, nessa época.

Com ajuda da polícia, consegui me livrar, mas com sérias conseqüências.

Vivia mergulhada em culpa e revolta. Perdi a guarda do meu filho para o pai.

Depois disso, me envolvi com tantos homens que perdi a conta, tornei-me viciada em sexo.

Há alguns anos, comecei a freqüentar reuniões de autoajuda e mudei completamente meu comportamento.

Fiz terapia, hoje tenho um bom emprego e há um ano meu filho voltou a viver comigo e há sete meses parei de beber.

Quando parecia que tudo estava indo bem, descubro, por um telefonema de meu filho que passava as ferias com o pai, que ele foi abusado sexualmente (estupro) pelo irmão de criação.

Sinto que, não importa o que eu faça, o passado sempre vai me perseguir, que nunca estarei livre dele.

Não sei como agir com meu filho, que está voltando dessas férias e chega amanhã.

Procurei centros de apoio à violência doméstica e sexual, para tentar encontrar um Terapeuta especializado em casos semelhantes, pois, apesar de meu filho e eu termos acompanhamento psicológico desde o inicio do ano passado, ele não conseguiu se abrir sobre essa violência que sofreu.

Não consigo evitar pensar que se eu tivesse ficado sabendo, essa nova violência não teria acontecido, pois teria tentado trabalhar esse trauma com ele e terapia.

Não sei como agir e preciso de ajuda. Sou muito comunicativa, mas não posso desabafar sobre isso com ninguém, pois tenho medo de que ele seja rejeitado pelo ato terrível que cometeu.

Agradeço a chance de pelo menos ter podido desabafar. Espero conseguir superar mais esse trauma.

 

Depoimento:

Olá, fui diagnosticada Borderline ontem, e gostaria de saber se é possível com a medicação que me foi passada Oxcarbamazepina e com a terapia viver em paz com a minha família (marido e filho de 7 anos). Amo eles e sinto que estou estragando tudo.

Sou filha adotiva de uma semana de vida, sempre tive uma família espetacular, mas às vezes sou assombrada com a sensação que existiu algum abuso por parte de meu pai quando eu era muito pequena.

Tinha relações sexuais com minhas amigas de infância, me lembro perfeitamente, dos 4 aos 8 anos aproximadamente, e às vezes tenho a impressão que meu pai sabia e assistia, mas é tudo muito confuso.

Tive muito êxito profissional, precoce até... Sou muito boa profissional e extremamente criativa...

Mas estou sofrendo por causa desses desequilíbrio que ultimamente tem acontecido, brigas horrorosas sem grandes motivos com o meu marido, e agressões físicas dirigidas a mim mesma e a ele também, me envergonho depois.

Sempre tive liberdade pra ser e ter tudo o que quis.

Recheada de mimos, até os 20 anos, morei com meus pais num modelo harmônico, posteriormente fui convidada para trabalhar fora do país e então tudo começou.

Sozinha, não dei conta de viver, busquei drogas, álcool, cigarro, diversos parceiros, tudo pra me preencher.

Estou com medo, porque encontro nessas características de Borderline, muitas explicações...

Hoje, vejo a fratura que eu mesma provoquei no meu dedo maior do pé, há uma semana atrás, e vejo que existe uma doença grave sim.

Mas eu quero enfrentá-la e saber se existem Borderlines que com tratamento podem viver bem.

Estou vendo o problema de frente agora. Sei que ele existe. Tinha explicação. Só preciso de esperança agora, e saber de profissionais sérios, se tenho grandes chances de viver em paz com a minha família que me ama, do meu marido que sabe e está do meu lado em paz... 

Resposta:

Oxcarbamazepina (Trileptal, Leptard, Oxcarb), é um dos bons atores coadjuvantes no tratamento do Transtorno de Personalidade Borderline. O ator principal do tratamento é a Psicoterapia. Remédios são importantes para manter os excessos de reações das Borderlines sob controle, mas o principal é a Psicoterapia.