Distimia ou estado meio depressivo de toda a vida

Tratar Distimia com Psiquiatra do Einstein

Distimia

Este texto é exagerado, não se ofenda.

Ninguém tem todos esses sintomas e todos esses traços de personalidade. Os Distímicos se esforçam para vencer as dificuldades causadas pela melancolia e tentam ser mais sociáveis.

A Depressão vem em fases mais ou menos fortes e bem delimitadas. A Distimia é um estado depressivo crônico que costuma aparecer na adolescência ou na infância.

1) A "fama" da pessoa Distímica:

  • Melancólicas, depressivas desde a infância ou adolescência.
  • Baixo astral, pessimistas, reclamonas, encucadas.
  • Perfeccionistas que não têm muita tolerância para as imperfeições dos outros.
  • Auto-estima baixa e autocrítica alta.
  • Dificuldade para confraternizarem.
  • Desenvolvimento profissional prejudicado pela dificuldade de relacionamento.

2) Desenvolvimento:

Geralmente as distímicas recebem estímulos negativos no trabalho, nas atividades sociais, nos namoros e isso reforça sua visão negativa do mundo.

Sucesso atrai sucesso, dinheiro atrai dinheiro, beleza atrai beleza, Distimia atrai isolamento, rejeição, falta de convites, etc.

Quanto mais cedo a Distimia começar, mais vai prejudicar os relacionamentos.

3) Risco maior (não obrigatório!) de:

  • Depressão, ansiedade.
  • Obsessividade, perfeccionismo.
  • Cefaléias e Enxaquecas.
  • TPM.
  • Prisão de ventre.
  • Sazonalidade, isto é, piora com tempo cinza, chuvoso, sem Sol.

4) Causas:

  • Relações familiares complicadas na infância.
  • Separação dos pais, orfandade cedo.
  • Pais muito bravos, agressivos, distímicos.
  • Famílias com Depressão, Pânico e TOC
  • Famílias com Transtornos de Personalidade, Alcoolismo, Drogas.
  • Doenças incapacitantes, limitações físicas.
  • Stress pós Traumático não curado.

5) Incidência:

Pode começar na infância, mas é mais freqüente na adolescência. Para cada homem existem cerca de 3 mulheres com Distimia.

6) Tratamento:

Distímicas não gostam de remédios, mas o tratamento com Antidepressivos melhora a qualidade de vida delas, de seus amigos e familiares.

A Psicoterapia (mais medicação) é mais importante do que na Depressão.

Por isso, a combinação de Psicoterapia mais Medicação é muito positiva.

Fototerapia, se houver sazonalidade na evolução da Distimia.

7) Tem Cura?

Sim, porque que a medicação funciona bem e não tem problema em tomar meses ou anos.

A Distmia é um círculo vicioso: melancolia -> espírito reclamão -> menos amizades-> isolamento social-> feed backs negativos -> baixo astral -> depressão.

A melhora, com a medicação e a é um círculo virtuoso: melhor astral -> menos reclamações -> menos isolamento -> situações de vida melhores -> feed backs positivos -> estímulo para uma vida mais pazeirosa.

Com o tempo a pessoa começa a funcionar de modo automático de modo mais alegre e pode ficar sem o remédio.

Perguntas e Respostas sobre tratamento de Distimia

Depoimentos de portadores de Distimia